Os fins justificam os meios? A violência pode ser um instrumento de justiça e liberdade?

Ao observar a agressividade e o vandalismo nos EUA entre aqueles que dizem lutar contra o racismo, pensei nesta mensagem do maior líder na luta por direitos civis, que articulou movimentos, com multidões que paravam para ouvir seus discursos. Ele adotou a propagação da não violência em seus atos públicos:

“Mas nunca teremos paz no mundo enquanto os homens não reconhecerem que os fins não são independentes dos meios, porquanto os meios representam o ideal em ação e o fim em processo, e não se pode alcançar bons fins através de maus meios, pois os meios representam a semente e o fim representa a árvore.”

Dr. Pastor Martin Luther King Jr  em “Um Sermão de Natal sobre a Paz”, em 24/12/1967 [1], proferido na Igreja Batista Ebenezer, em Atlanta, Geórgia, EUA.

O que está acontecendo nos EUA com o dito “Antifa” é muito parecido com a baderna coordenada que ocorreu no Chile e até no Brasil com os black blocs. Movimentos de extrema-esquerda, suavizados pela grande imprensa.. E quando surge um fato que denota um grave dano provocado por algum aparato estatal, como no caso do brutal assassinato de George Floyd,  o que não é incomum, sobrou até para a enviesada CNN as “boas intenções” de tais militantes da violação da propriedade privada e da violência no seu estado mais troglodita.

_________________

Nota:
  1. Extraído da obra Luther King, O Redentor Negro. Preces e Mensagens.

Comentar pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *