A crise do coronavírus impõe números aterrorizantes cujo manequim de cemitério do Jornal Nacional anuncia todos os dias? Esconda o termômetro, atrase a divulgação para depois do Jornal, faça uma maquiagem nos números… Afinal, depois da contabilidade criativa, um novo mundo se apresentou.

Aprenda a jogar o 2+2=5. Leia mais “1984” e se aperfeiçoe com as lições do Grande Irmão. O povo não carece de verdades e sim do que deseja ouvir. Fatos não interessam à política e sim um bom discurso alucinógeno…

O povo bestializado demonstra cada vez mais temor com a pandemia? Os governadores comunistas estão tramando e fazendo sensacionalismo com números? Mande o braço da militância “útil” invadir hospitais e filmar pacientes e leitos para denunciar as manobras daqueles que estão “inflando” números para tocar o terror nos incautos. Chame a Polícia Federal para coletar essas “provas”. Não importa se a privacidade dos pacientes e dos médicos será violada, afinal não é a sua mãe, nem seu pai que serão filmados, expostos. Privacidade é um “detalhe” ínfimo por aqui. O povo gosta mesmo é de Big Brother… Se os militantes ficarão expostos a coisas “inofensivas” como vírus e bactérias mortais? E daí? Ora, todo mundo morre um dia, e além do mais ganharão “anticorpos”, pelo menos aqueles que sobreviverem a algum contágio grave, e quanto aos demais, ficarão eternizados pela luta contra os comunistas, nem que seja a sete palmos de terra terminando seus gloriosos dias de militantes fiéis como “heróis da pátria mãe gentil”. Lutaram bravamente para salvar a nação e serão condecorados como o Olavão.

Ele foi uma promessa para dias melhores no mundo da política, mas infelizmente como ministro da Justiça criou embaraço quando o chefe precisou de uma polícia federal particular lá no quintal do Palácio, só para segurança judicial dos “meninos”.  Que sujeito é esse hein? Metido a cavalo do cão da moralidade querendo ser maior que o mito? Achando-se tutor das coisas públicas só porque humilhou a máfia petista e apurou o maior escândalo de corrupção de todos os tempos? Que “ex-juizeco” soberbo é esse atrapalhando os planos de fazer da PF uma Gestapo a serviço dos planos de poder da família e dos poucos e valiosos amigos no Congresso? Que negócio é esse de não poder nomear um diretor amigo de infância de um dos “meninos”, para que o chefe da nação receba relatórios de “inteligência”? Tem que se mesmo um sujeito íntimo, de confiança, entenda-se, capaz de divulgar investigações que possam interessar ao líder do clã? Conflito de interesses? E daí? A Polícia Federal tem que servir à nação e isso significa servir ao supremo comandante do povo que o elegeu, ponto final. Os vigilantes não precisam ser vigiados.

Apertou a relação com o Congresso? Ficam falando de impeachment só para fazer medinho? Golpistas! Comunistas! Ora, ora, sempre haverá o centrão para negociar… Mais Maquiavel para “enlevar” o espírito e entender que a pureza das “boas” ideias, “dos fins que justificam os meios”, que tais esforços vão livrar a nação dos comunistas, e isso é o que importa. A “boa” fé de contratar figurinhas carimbadas dos escândalos em Brasília não será prejudicada com contatos, digamos, tão imediatos. E daí? Ter como parceiros do governo gente que está mais acostumada às páginas policiais, da sagrada corrupção nossa de cada dia e até um tempo desse estavam no outro lado, trabalhando para Lula, Dilma e companhia? E daí? Política não é para sonhadores e sim para velhas raposas. Nomeando ex-deputados e articuladores do centrão para cargos de Itaipu, FNDE, Funasa, pessoal de confiança de Valdemar Costa Neto, aquele sujeito “injustamente” condenado no esquema do mensalão e com a batuta partidária? E daí? Quebrando uma promessa de campanha de não se misturar com essa gente tão “bem” afamada? E daí? A causa de “salvar” o Brasil dos comunistas é nobre e é isso que importa. A militância entendendo e apoiando, o resto não interessa; é só intriga da oposição.

E aqui termina meu singelo e sincero “louvor” e “gratidão” a este grande herói, orgulho da nação. É de homens assim que o Brasil precisa! Que está na política mas não a pertence. “Lúcido”, “íntegro”, de “retidão irretocável”, que sempre mede bem as palavras no pensamento antes de falar. Um homem que só dá “bons” exemplos, “consistente”, de “uma” palavra “só”, que trata bem os subordinados, não os humilhando em público. Um homem de postura “firme” e “justa”. Se você não está fechado com ele, se você não ama este homem, não é capaz de entregar sua vida e sua lealdade a ele, você é comunista, inimigo do povo!  Bom dia! Bom descanso a todos.

 

 

 

 

Comentar pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *