As fases da vida…

As fases da vida… Quando eu era menino, vivia como menino, fazia xixi na cama e era comunista. Chegou a juventude e Stalin me decepcionou, logo virei socialista (eufemismo para comunista envergonhado). Logo mais à frente, vi que o mercado era necessário, então virei “social-democrata” (eufemismo para socialista com medo de sair do armário) Passei […]

Read more

Notas sobre o socialismo brasileiro

A definição para o termo “socialismo brasileiro” neste texto pode ser controversa em uma visão liberal ou até mesmo hayekiana [1], talvez seja compreensível por um viés miseano ou austro-libertário. Para o lado canhoto, no último ciclo recessivo brasileiro (2015-2017), o Liberalismo Clássico, a Escola Austríaca e a Escola de Chicago “saíram do armário”, junto […]

Read more

Um feliz novo fim do mundo

Despedida Amigos, já sobrevivi a muitos apocalipses. O primeiro aconteceu quando eu tinha 15 anos, na queda do muro de Berlim. Depois, logo outro triste fim do mundo com a extinção da União Soviética. O fim de um sonho adolescente contra o capitalismo malvadão. Naquela época eu era um socialistazinho, um bocó, e claro, quando […]

Read more

Quando socialistas são “conservadores” e “liberais”

Via de regra, socialistas disseminam conceitos deturpados sobre conservadorismo e liberalismo econômico, porém, na medida do prestígio social e do patrimônio que acumulam, se comportam como conservadores nos costumes e liberais em economia, para cuidar dos próprios negócios. São individualistas quando o assunto envolve o próprio bolso. São prudentes, praticantes de ceticismo diante de novidades […]

Read more

Sobre o Novo

  Filiei-me ao Partido Novo [1] em novembro de 2015. Foi um ato sem esperança. Para entender o sentido, sugiro Nietzsche. Não contribuo com o Novo porque espero que o partido mude a política. Não acredito no “vota que muda”, no sentido de que a política pode evoluir eticamente. A política costuma mudar, para pior, sempre. […]

Read more

Democracia

O que é a democracia? José e Maria saíram para um almoço no dia dos namorados com outros cinco casais. Chegaram a um restaurante e José resolveu fazer uma brincadeira: uma eleição para estabelecer o prato principal a ser consumido por todos. Abriram a caixinha que serviu de urna: 3 votos para picanha 2 votos […]

Read more