O preço da coerência

Não me apetece qualquer necessidade de tomar partido pelo filósofo Olavo de Carvalho, como observo nos assim chamados “olavetes”, a patrulha ideológica de direita que atua, sobretudo, naqueles meios “que  deram voz a uma legião de imbecis”, aqui lembrando a precisa definição para “redes sociais” dada por um outro filósofo que também tenho apreço: Umberto […]

Read more

É a democracia…

O que é a democracia representativa republicana, querido Joãozinho? Indagou Mariazinha ao seu namorado. Joãozinho, um austríaco, nada lhe disse e imediatamente organizou um jantar com casais amigos com uma brincadeira muito diferente: haveria uma eleição para a escolha do prato principal. Cinco casais, dez votos e o prato vencedor seria servido a todos no […]

Read more

As fases da vida…

As fases da vida… Quando eu era menino, vivia como menino, fazia xixi na cama e era comunista. Chegou a juventude e Stalin me decepcionou, logo virei socialista (eufemismo para comunista envergonhado). Logo mais à frente, vi que o mercado era necessário, então virei “social-democrata” (eufemismo para socialista com medo de sair do armário) Passei […]

Read more

A nova política…

A nova política de Vitória de Santo Antão, assim como em qualquer canto do país, está repleta de indivíduos que se orgulham de não fazer parte das famílias tradicionais de políticos, mas que defendem ideias tão parecidas ou ainda piores para gastos governamentais. Sabe aquele rapazinho ou aquela mocinha de boa articulação nas palavras, universitários […]

Read more

A lei do “não sabemos”

A primeira lei da economia é a escassez, isso dr. Thomas Sowell sintetiza muito bem. A segunda lei vem de dr. Hayek: eu a chamo de lei do “não sabemos”. Não sabemos o que um consumidor vai querer precisamente, com 100% de acerto. Podemos saber o que ele quis ontem e hoje, em certo grau, […]

Read more

Não é nada conservador

O presidente Bolsonaro censurou propaganda do Banco do Brasil? Sem dúvida, uma censura, algo que me parece preocupante para quem se diz conservador. 1 – Não é nada conservador quando um político se intromete em decisões administrativas de uma empresa estatal, com base em opiniões pessoais, mesmo alegando seguir uma agenda eleitoral que se auto […]

Read more

Por que não me envergonho do STF

O episódio do ministro Enrique Ricardo Lewandowski, no ano passado, provocado em um voo comercial por um indivíduo que se disse “envergonhado” com a corte suprema brasileira, serve para ilustrar como a ética do coletivismo, em torno do estado, tem um grande poder no imaginário popular. O resultado do julgamento de ontem (14), cujo desdobramento pode […]

Read more

Quais os limites da liberdade de expressão?

Em setembro do ano passado, a peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” que tem como personagem central um Jesus como uma transexual, foi impedida de ser apresentada no Sesc de Jundiaí (SP), por ordem judicial [1]. Recentemente, a peça voltou a ser objeto de polêmica com o veto do prefeito de Garanhus (PE), […]

Read more

Dissonância e paralaxe cognitiva

  Revisado em 24/02/2019 13h12 Aprendi o significado do “viver o que se ensina” pela dor da indignação, lá pelos idos de 2003-2006 quando notava em alguns professores e alunos do seminário teológico, certas inconsistências. Eram de “mente aberta” abordando com entusiasmo determinados conceitos liberais em sala de aula, mas, tendo oportunidade de vê-los no […]

Read more

Por que estamos implantando o eSocial?

Um partido de extrema esquerda chega ao poder em 2003. Sob viés socialista maior que o governo anterior, resolve instituir em janeiro de 2007 um novo big brother fiscal [1]. A Receita Federal (RFB) começa a desenvolver o projeto, mas percebe que, sozinha, não poderá alcançar os objetivos. Então, surge um grande grupo de trabalho […]

Read more

Notas sobre o socialismo brasileiro

A definição para o termo “socialismo brasileiro” neste texto pode ser controversa em uma visão liberal ou até mesmo hayekiana [1], talvez seja compreensível por um viés miseano ou austro-libertário. Para o lado canhoto, no último ciclo recessivo brasileiro (2015-2017), o Liberalismo Clássico, a Escola Austríaca e a Escola de Chicago “saíram do armário”, junto […]

Read more

Falácias da “caixa preta” do BNDES

Na última sexta (18), o BNDES publicou uma lista com os 50 maiores tomadores de recursos [1].  A “caixa preta” não foi aberta, considerando que dados dessa natureza vinham sendo publicados pela instituição há algum tempo. Faltam os detalhes da operações, relatórios de análise de crédito, atas, rating de crédito, saldo das operações, situação cadastral […]

Read more

Notas sobre “ambiente acadêmico”

O que me menciono neste texto como “ambiente acadêmico” se aplica, especificamente, ao âmbito do ensino dito “superior” regulado pelo estado [1] em áreas ligadas às ciências sociais.  Esclarecimento importante quando se verifica que o analfabetismo funcional é uma epidemia, sobretudo entre formados no tal “ambiente”. Antecipo minhas escusas por algo que possa soar ofensivo, […]

Read more

Notas sobre fascismo

Nada me parece ser mais irônico do que ser chamado de “fascista” por argumentar favoravelmente à extinção de todo ordenamento regulatório que concentre no estado poder para interferir nas relações econômicas e nos costumes da população. Pude atestar na pele tal conceito do senso comum, inclusive entre acadêmicos, quando externei um entendimento sobre a CLT. […]

Read more

Natal

  O Natal cristão em 25 de dezembro é uma data simbólica, seguindo diversas tradições que foram aproveitadas de crenças “pagãs”. Nestes termos, há quem veja o Natal cristão apenas como o resultado da influência política na substituição do Natal do “sol invictus” pela celebração do “Menino-Deus” de uma igreja até então sob as conveniências do Império Romano. […]

Read more

Tempus edax rerum

  Uma homenagem a Lopes de Sá Balanço de abertura: o mistério de uma nova existência faz o primeiro lançamento no livro diário da vida. Registra-se débito no “ativo circulante” na conta  Κρόνος (“Krónos”) e credito no patrimônio líquido, na conta “existência”. O valor apropriado é intangível aos olhos humanos, incerto e não sabido. Sabe-se […]

Read more